Qual tem sido a tua atitude diante da vida?

No post dessa semana te fazemos o seguinte questionamento: Qual tem sido a tua atitude diante da vida?

Você já parou para pensar na forma como tem agido diante as condições/problemas que você tem neste exato momento?

Existem várias metáforas que servem para traçar analogias sobre o questionamento: qual tem sido a tua atitude diante da vida?

Acreditamos que a metáfora do monge, do discípulo e a vaquinha é a que mais se aproxima das reflexões que estamos te propondo com este post.

O que a história do monge, do discípulo e a vaquinha pode falar sobre nossa atitude diante da vida?

Atitude diante da vida

A história do monge, do discípulo e da vaquinha

Um mestre e seu discípulo caminhavam durante um dia quente, exaustos, cedentos de cede. Quando avistaram uma casa muito humilde e eles resolveram bater.

Em seguida avistaram uma mulher e duas crianças e eles humildemente pediram:”Minha senhora, a senhora pode nos dar um pouco de água? Estamos famintos e cedentos, mas se a senhora puder nos dar um pouco de água, ficaremos imensamente agradecidos.”

E a mulher, dona Maria, prontamente respondeu: Por favor, entrem. 

E entrou o mestre e seu discípulo e ela não serviu apenas água, serviu leite, queijo. E eles comeram o leite e o queijo que estava muito gostoso. E ainda tinha mais, ela trouxe uma coalhada e serviu para eles.

Eles elogiaram muito a qualidade do leite, do queijo, da coalhada. Então senhora chamou os dois para verem no pátia a vaquinha da família. Pois ela que concedia o leite, o queijo, a coalhada e que com a sobre de queijo e leite, o marido dela levava até um armazem e trocava por roupa, arroz, feijão e assim eles vão levando a vida humilde deles. A vaquinha sustentava toda a família: ela, o marido e os três filhos.

Momento da despedida

O mestre seguiu conversando com dona Maria, que era muito educada, gentil e acolhedora. Quando chegou a tardinha e o sol ficou menos quente, os dois se prepararam para seguir o caminho. Antes, a mulher reservou um pedaço de queijo para que eles se alimentassem durante a caminhada. E eles agradeceram muito. Neste momento chegou o marido, o seu João, que havia acordado da sua sesta vespertina, cumprimentou os dois de forma muito simpática e acolhedora. O mestre e o discípulo agradeceram por tudo e sairam caminhando. 

A noite entrou e os dois após uma caminhada de aproximadamente dois quilometros. Param e o mestre disse: “Discípulo, volta lá e trás aquela vaquinha aqui”. O discipulo questionou: “Por que mestre?”. O mestre respondeu: “Vai lá e trás a vaca!” 

O discipulo obedeceu e retornou para pegar a vaca, no caminho ficou imaginando que coisa maravilhosa estaria o mestre planejando para aquela família. Voltou com a vaca. E o mestre perguntou: “Alguém viu você pegando a vaquinha?” No que o discipulo respondeu:”Ninguém viu”. Então o mestre ordenou que o discípulo levasse a vaquinha para a beira de um precipício. E o discipulo se perguntou: “Para que será que o mestre me pede isto?”, mas fez.

Quando chegou na beira do precipício com a vaquinha, o mestre ordenou: “Agora empurre a vaquinha”. Nisso o discipulo se apavorou: “Mas mestre!”, o mestre “Empurre a vaca!” E o discipulo confiando em seu mestre empurrou a vaquinha! Que na verdade era uma vaca grande, com úbere enorme.

Atitude diante da vida
A vaca caiu ribanceira abaixo e eles ficaram lá aguardando até ouvir o último gemido da vaca. Quando o mestre disse:”Agora nós já podemos ir”. E o discípulo indignado:”Mas mestre, como nós já podemos ir, olhe o que fizemos?” E o mestre respondeu:” Sim, nosso trabalho já está feito, agora podemos seguir”.

E eles seguiram caminhando uma semana, duas, tres semanas. E o discípulo sem dar uma palavra este tempo todo, estava amargurado e triste pelo que haviam feito para aquela pobre família. 

Depois de dois meses o discípulo não aguentou mais e disse “Mestre, não consigo nem chamá-lo mais de mestre. Você fez mal aquela família e agora eu me sinto culpado, por ter destruído a vida de uma família inteira, por ter empurrado aquela vaca no precipício.”

E o mestre questionou:”Você não é um discipulo?”, o discipulo respondeu:”Sim, eu sou”. O mestre disse:”Então confie e me siga.” Mas o discipulo indignado respondeu:”Não, eu não tenho mais condições de seguí-lo, pois não tenho mais admiração e perdi a confiança. Vou trabalhar para conseguir o dinheiro e comprar uma nova vaca para aquela família.”

Trabalho árduo para devolver a família aquilo que lhe fora tirado

E foi isto que o discípulo fez, abandonou seu mestre e foi trabalhar para conseguir juntar o dinheiro suficiente para que a família pudesse comprar uma nova vaca.

Cinco anos depois, ele conseguiu juntar o dinheiro. Então ele percorre o mesmo caminho de cinco anos atrás para reencontrar aquela família e devolver o dinheiro para que eles pudessem adquirir uma nova vaquinha.

Quando chegou no local onde a família morava, não havia mais a casinha humilde, havia uma entrada enorme de fazenda e veio um caseiro atendê-lo. E o discípulo perguntou pela família que morava ali há cinco anos, pois ele tinha uma encomenda muito importante para entregar para eles e o caseiro o convidou para entrar na fazenda.

O discípulo foi levado até a sede da fazenda, uma casa enorme da fazenda. Quando chegou lá, o caseiro apresentou o discípulo para uma funcionária e disse que ele estava procurando pelo seu João e pela dona Maria, pois tinha uma encomenda importante para entregá-los. 

A funcionária o atendeu muito bem, ofereceu um suco e esperasse que os aguardassem. E o discípulo ficou imaginando que provavelmente o seu João e a dona Maria estavam trabalhando naquela fazenda. E que deveriam ser funcionários muito queridos, pois todos que falavam neles, falavam de forma respeitosa e atenciosa.

Quando ele percebe, chega dona Maria e seu João, os dois muito bem vestidos, com botas de couro legítimo, chapéu do tipo panamenho, muito elegantes. E dona maria logo disse para o discípulo: “Eu estou reconhecendo você!” E o discipulo todo sem jeito, não conseguia quase falar, mas disse:”Vocês não são aquela casal pobre, que recebeu há cinco anos eu e meu mestre, nos serviram leite, queijo e coalhada?” E eles confirmaram, somos sim!

E dona Maria seguir falando: “Mas você estava acompanhado, na época de um senhor muito gentil e sábio!” O discípulo pergunta:”Mas o que aconteceu? Quando eu estive aqui vocês dependiam somente de uma vaquinha para tudo! E agora vocês estão tão ricos, isso tudo é de vocês?” Seu João respondeu:”Sim, até onde a vista alcança é terra nossa!”

O discípulo sem entender nada perguntou:”Mas o que aconteceu?”

A grande mudança

Dona maria respondeu:”Meu jovem, depois que vocês foram embora, um tempo depois, nossa vaquinha se soltou e foi caminhando, caiu num prescipício e morreu! Quando demos conta que o nosso único sustento havia terminado, meu marido, num momento de despespero, desceu a ribanceira e tirou tudo que podia da vaquinha para vender.

Tirou pele, carne, visceras, chifre, ossos, tudo. Nós secamos uma parte da carne outra parte nós vendemos, vendemos o couro e todo o resto. Com o dinheiro que conseguimos juntar compramos sementes e mantimentos.

As sementes nos plantamos atras daquela casinha e o mantimento nos manteve, juntamente com a carne que colocamos para secar.

E você acredita que a plantação foi tão boa que que logo foi possível dobrar a plantação? A terra era tão boa, tão fertil, que triplicamos e continuamos crescend, precisamos arrendar terrar proximos e contratamos pessoas da região para trabalhar com a gente. Plantamos e colhemos e cinco anos depois estamos aqui, produzindo trigo, feijão e milho. Nos transformamos em grandes produtores.”  

E dona maria terminou dizendo assim:”Vocês nos deram sorte! Graças aquela vaquinha que simplesmente se perdeu, eu e meu marido acordamos para as possibilidades que estavam na nossa frente e nós não víamos.”

E você? Já parou para pensar nas possibilidades que estão agora batendo na sua porta? Que estão agora ai diante de você? Afinal, qual tem sido a tua atitude diante da vida?

“Pare agora e seja sincero com você. Qual tem sido a tua atitude diante da vida? Como você tem se colocado diante da familia, das pessoas, dos desafios, das oportunidades? Como as pessoas que mais te conhecem definem a tua atitude dienta da vida?” (O Poder da Ação)

Aproveite o final de semana para fazer estas reflexões.

Qual tem sido a tua atitude diante da vida sobre oportunidades e possibilidades que estão batendo na tua porta e você talvez está deixando passar, pelo simples fato de estar acomodado?

Esperamos de coração, que este post tenha contribuído em algum sentindo para melhorar a sua vida e a de sua família.

Não importa a situação pela qual você esteja passando neste exato momento. Tenha a certeza de que é possível modificá-la. Tendo fé, paciência, mas principalmente busque aprender com o que não deu certo e reencontre o caminho da vitória!

Caso você queira aprofundar um pouco mais o seu estudo acerca da sua atitude diante da vida financeira, recomendamos a leitura do artigo “Os 3 pilares essenciais da prosperidade”.

Qual tem sido a tua atitude diante da vida?
5 (100%) 2 votes

Todos Podem Ter Sucesso

O Todos Podem Ter Sucesso foi fundado no final de 2016 com o propósito de auxiliar você a explorar o máximo de seu talento, seja ele qual for e, tranformá-lo em um negócio de sucesso.

Website: http://todospodemtersucesso.com.br